domingo, 16 de dezembro de 2012

#Filme: Battleship

Título no Brasil: Battleship-Batalha dos Mares
Título original: Battleship
Diretor: Peter Berg
Duração: 2 hrs e 11 min.
Ano: 2012
Classificação: 2/5 

        Sabe quando você acaba de assistir aquela comedia romântica e pensa que gostou certo modo por causa das cenas fofinhas e das piadinhas, mas depois se lembra do quão clichê o filme é? Pois é, é exatamente essa a sensação que Battleship passa. Mas antes de reclamar, vamos à resenha (SPOILERS):
Resenha:
         Depois de anos de procura, a NASA finalmente encontra um planeta semelhante à terra em vários pontos. O único problema é decidir se eles farão ou não contato com esse planeta através de sinais, na dúvida de que, se houver vida lá, talvez ela não seja amigável. O tal sinal acaba sendo enviado de uma base científica no Havaí.
           Tempos depois de o sinal ter sido enviado, acontece no Havaí, mais precisamente na base naval Pearl Harbor, um encontro internacional de Marinhas para treinamento de guerra.  É quando também, os seres vivos do planeta semelhante a terra resolvem responder ao nosso chamado amigável com uma frota inteligente disposta a acabar com tudo que estiver na sua frente.  situação só piora quando alguns navios de frotas internacionais ficam presos dentro de uma bolha\campo de força com a frota alien assassina que os impede de ter contato com o mundo afora.
       É ai onde os protagonistas começam a fazer alguma coisa. Alex Hopper era um vagabundo que dormia no sofá do seu irmão Stone Hopper, até que Stone resolve acabar com a vagabundice de seu irmão e decide leva-lo para marinha.
       Quando os ataques começam, Alex estava em treinamento, e devido a morte de seus superiores, ele acaba assumindo o controle e comanda o único navio restante americano dentro da bolha para uma tentativa de salvar o mundo do terríveis e tapados aliens.
      Em um mundo tão grande como o nosso, não é possível que ninguém tivesse um ideia melhor do que ideia bizarra de transformar o velho e conhecido jogo “Batalha Naval” em um filme. Estaria tudo bem, se não fosse pelas atuações fracas, piadinhas inconvenientes, uso da formula “Transformers” (o protagonista tem uma namoradinha que fica fazendo um trabalho secundário para salvar o mundo) e o sempre exagerado patriotismo. Um dos pontos positivos são os efeitos especiais e algumas cenas e estratégias de batalha inteligentes.Assim como a minha resenha, o filme é meio bagunçado, faltou o Michael Bay para dar o seu toque final.
         O fato de ser clichê é por causa dos aliens, do final, dos protagonistas, e até do roteiro.
        Liam Neeson, o único grande nome do elenco, faz aparições de importância mínima somente do começo e no fim do filme. Já estreante Rihanna até que se saiu bem na atuação, mas a indústria da música não corre o risco de perder mais uma para o cinema. Fiquei com pena do Taylor Kitsch, que protagonizou mais um filme sem sucesso. 
        Definitivamente criei muitas expectativas sobre o filme, principalmente por causa da propaganda que não nos deixa de esquecer-se das ligações com Transformers. Enfim, se quiserem assistir assistam, se não, não assistam!  

Trailer:

                                                                                                                                               Por Coruja!

7 comentários:

  1. Eu vi o trailer desse filme no cinema, mas não tive a oportunidade de assistir ainda. Tõ beeem curiosa, parece ser bem legal. Adorei seu post.. um beijinho e até maaais...

    ResponderExcluir
  2. Legal.
    littlegirls-blog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Já assistí, é muuuuuito bom *-*
    siteiloveit.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  4. TOPPPPP
    Esse filme!
    Amei seu blog
    Seguindo
    Segue?
    www.golden-mila.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Ótima resenha. Fiquei super com vontade de ver e vou procurar o link pra fazer download.

    Beijos, Romário.
    www.naomeentendamal.com.br

    ResponderExcluir